Sem categoria

[Top 5] Filmes Essenciais de Gene Wilder

postado por Pedro Lasneaux

Jerome Silberman, mais conhecido pelo nome artístico de Gene Wilder, nasceu no estado norte-americano de 1933 e já aos 13 anos, inspirado pela sua irmã, que fazia aulas de atuação, decidiu se tornar também um ator. Na juventude se mudou para a Inglaterra buscando estudar o método Slavinsky de atuação, onde descobriu uma paixão pela esgrima. Ao retornar a sua terra natal, logo começou a atuar em peças de teatro clássicas como Macbeth, igualmente se destacando ao treinar dubles para lutas de espada. Porém seu estrelato veio quando foi chamado para participar de uma produção teatral dirigida pelo igualmente genial Mel Brooks, que descobriu sua veia cômica; se tornando seu parceiro não só no teatro, mas também no cinema , onde o ator é lembrado até hoje por filmes memoráveis. Ele não parou por aí, logo se aventurando, com ajuda de seu amigo e mestre, na elaboração de roteiros e na direção de filmes, mostrando toda sua versatilidade também atrás das telas. Hoje ele veio a óbito em decorrência de complicações do mal de Alzheimer, sem fazer um filme a 25 anos apenas esperando a proposta perfeita, porém sem nunca ter se aposentado de seu oficio. Como homenagem, a equipe Quero  Bacon selecionou 5 filmes essenciais da filmografia desse gênio da comédia para sua apreciação futura. Espero que gostem.

1- Primavera para Hitler (The Producers- 1968)

The-Producers

Eis o filme que lançou o ator ao estrelato e iniciou a longa parceria com o gênio Mel Brooks. Nessa comédia ao melhor estilo da contracultura que dominava o cenário de Hollywood no fim dos anos 60, Gene atua ao lado de outro grande ator de comédia, o genial Zero Mostel, fazendo o papel do contador Max Byalistok, que é contratado pelo produtor de musicais da Brodway Leo Bloom a logo se vê envolvido em uma tramóia para efetuar o golpe do século no cenário teatral de Nova York e, vejam só, fugir para o Rio de Janeiro. Para isso eles tem que achar o pior roteiro da história, sintetizado na ode nazista Primavera para Hitler. O sucesso da película foi estrondoso, rendendo um  Oscar de melhor roteiro original para Brooks e uma indicação para Wilder na categoria melhor ator coadjuvante, além de um remake na própria Broadway com Matthew Broderick no papel de Byalistok.

2- A Fantástica Fábrica de Chocolate (Willy Wonka and the Chocolate Factory- 1971)

2CB123F900000578-3246835-image-m-21_1443046573853

Certamente foi como o enigmático Willy Wonka que Wilder é mais conhecido nos dias de hoje. Muito pela excelente performance do rabugento chocolateiro que nos leva a um mundo de pura imaginação, com seu jeito sarcástico e autoritário sobre crianças levadas, sempre acompanhado dos cantantes Oompa Loompas, que funcionam como um verdadeiro coral de tragédia grega a história. O musical de Mel Stuart é certamente um clássico imortal que vem encantando gerações e crianças de todas as idades desde seu lançamento, e boa parte dessa fama se deve ao brilhantismo de Wilder. O filme igualmente ganhou um remake pelas mãos destorcidas de Tim Burton com Johnny Depp no papel de Wonka em 2005, mas nenhum dos dois conseguiu captar a magia do clássico original.

3- O Pequeno Príncipe (The Little Prince- 1974)

the-little-prince-1974

Talvez o papel de Raposa na adaptação musical do clássico de Saint-Exupery seja o mais próximo de um papel dramático que vemos de Wilder. Ao incorporar com maestria a guru espiritual do personagem titulo, o ator roubou completamente a cena (isso dividindo a cena com outro genio, o ator, dançarino, diretor e coreografo Bob Fosse), se tornando um de seus trabalhos mais memoráveis, apesar da recepção fraca do filme a época. No entanto, para nossa sorte, o filme dirigido pelo igualmente lendário Stanley Donen (diretor de Cantando na Chuva e grande parceiro de Gene Kelly) virou algo como um musical Cult obscuro e sobreviveu ao tempo.

4- O Jovem Frankstein (Young Frankstein- 1974)

gene-wilder-young-frankenstein

No mesmo ano, foi lançado o filme que contém a performance definitiva de Wilder, assim como a obra prima de Mel Brooks: Jovem Frankstein. Nessa paródia dos filmes clássicos de terror da Universal da década de 30, conta as desventuras de Frederick Frankenstein, neto do celebre cientista louco, que busca seguir os passos do avô e recriar vida a partir de um corpo já morto. A atuação de Gene é considerada uma das melhores da história do cinema, com um timing hilariante para a comedia e perfeição em cada cena. Nesse filme, igualmente, atacou de roteirista com Brooks, mostrando sua criatividade para conceber o conjunto de cenas consideradas dentre as mais engraçadas do cinema, roteiro esse que lhe rendeu sua segunda indicação ao Oscar e colocou o filme no rol de clássicos mais importantes da historia da sétima arte pela sua inventividade.

5- A Mulher de Vermelho (The Women in Red- 1984)

8e01bfc10d030fe7c203a97ca8de3241

O ultimo grande sucesso de Wilder no cinema foi certamente esse clássico que embalou muitas tardes de risadas na sessão da tarde. No filme dirigido e escrito pelo próprio Wilder, ele incorpora a persona do atrapalhado Teddy Pierce, homem de meia idade casado que se apaixona por uma misteriosa mulher de vestido vermelho que sempre vê a caminho do trabalho, interpretada pela musa da época Kerry LeBrock. Em busca de conseguir algum contato com a moça, Teddy se mete em uma confusão sem precedentes recheada de cenas de altíssima qualidade cômica e embalado pela trilha sonora de ninguém mais ninguém menos que Stevie Wonder, ganhador do Oscar de melhor canção original por esse filme, graças a adição do imortal clássico I Just Call To Say I Love You em sua trilha sonora.

Sobre o autor

Pedro Lasneaux

Crítico
Conhecido como Pedrao e Lax. Apaixonado por cinema, quadrinhos, filosofia, literatura,desenhos animados e anime, quer ser o novo José Wilker e comentar o Oscar na TV.

Ei! Deixe seu comentário