Análise Séries

[Crítica] Game Of Thrones Episódio 6×04: Book of The Stranger

postado por Pedro Lasneaux

AVISO: A ANÁLISE CONTÉM SPOILERS

Não sei se ainda é cedo para afirmar isso, mas essa sexta temporada tem se desenhado como a melhor de todas. Os três últimos episódios apresentaram um dinamismo genial, e todos os núcleos se desenvolvem e apresentam constantemente novos dilemas para os personagens, ou já armam palcos para grandes conflitos. Nesse episódio os caminhos ficaram bem mais claros, e várias tramas apontam para um caminho que aparenta ser certo. Porém, nunca podemos nos esquecer, estamos diante de Game Of Thrones. Entre reencontros e velhos personagens voltando a luz dos holofotes, eis os núcleos:

  • Muralha/Jon Snow/Sansa Stark

O reencontro de Sansa e Jon foi no mínimo emocionante. Depois de 5 temporadas separados, finalmente o núcleo dos Starks teve um breve momento de alegria. Foi muito impactante ver o diálogo entre os dois sobre as lembranças daquele passado longínquo em Winterfell, onde todos os pequenos conflitos eram banais.  No entanto, ficou bem clara a evolução dos personagens e de suas feridas: um Jon Snow desiludido se encontrou com uma Sansa que, após tanto sofrimento, decidiu declarar guerra ao mundo. De inicio relutante em acompanhar a irmã num ataque a Winterfell, logo se vê obrigado a pegar em armas mais uma vez, graças as terríveis e cruéis ameaças de Ramsay Bolton, novo senhor do Norte. Ficou evidente também a evolução de dois atores que eram muito criticados pela ausência de expressividade em cena e hoje dão show de interpretação. Kit Harrigton e Sophie Turner realmente levaram com primor essa memorável sequência.

Porém as movimentações não param por ai. Brienne e Melisandre finalmente se confrontaram, e as feridas da morte de Renly Baratheon, que ocorreu ainda na segunda temporada logo afloraram. A guerreira ainda assumiu para Davos que foi quem deu o golpe de misericórdia em Stannis. Será que esses três vão conseguir lutar sob a mesma bandeira ou as lutas pela honra de mortos vai prevalecer? Esse novo conflito promete, no mínimo, tensão no núcleo. Insta ainda salientar que Brienne ainda roubou o coração do selvagem Tormund, que ficou completamente abobado com sua imponente figura.

got6-4-2

  • Winterfell/Ramsay Bolton

O cara mais odiado teve uma participação bem curta, porém não deixou de nos enfurecer com mais uma de suas maldades. O seu confronto com Osha foi bem montado, porém previsível. A companheira de Rickon achou que estava comandando a situação, seduzindo o Senhor do Norte com palavras e carícias, quando na verdade este sempre esteve um passo a frente. Uma facada na jugular pôs fim a Osha, e agora Rickon está completamente sozinho nas mãos de Ramsay.

  • Greyjoy

Mais um reencontro de irmãos se desenhou aqui. Theon e Yara finalmente se confrontaram após várias temporadas. Entre justificativas, esporro, dor e desabafo, o jovem Greyjoy declarou que não tinha qualquer interesse no trono das Ilhas de Ferro e que faria de tudo para que sua irmã se tornasse a nova líder da região. As atuações tanto de Alfie Allen quanto de Gemma Whelan foram igualmente impactantes e deram um tom todo especial a cena. Um novo laço entre os irmãos Greyjoy foi estabelecido, um mais forte que aquele que existia anteriormente.

  • Vale/ Mindinho

A maior mente de Westeros está de volta e deixando a sua marca no episódio. Fingindo que nada sabia sobre o destino de Sansa e de que foi atacado pelos Bolton, o mesmo colocou o nobre e tutor do Senhor do Vale Lord Royce em maus lençóis, fazendo com que o mesmo parecesse um traidor aos olhos de seu tutelado Robin Arryn, que logo pediu pela sua morte. Porém, o velho guerreiro tem o seu valor e importância para seus planos. Tão logo convenceu o jovem senhor a desistir da execução e convenceu-o de entrar na luta contra os Bolton. O Vale foi a região menos trabalhada na série; no entanto nos livros se tem um melhor panorama da mesma. É uma região montanhosa considerada inconquistável, contando com valorosos guerreiros de várias casas nobres, com grande pericia nas artes da cavalaria e que, por não ter se envolvido nas batalhas anteriores, está com força total. É uma grande adição as pretensões de Sansa e Jon de reconquistarem o Norte, porém como seus regimentos estão nas mãos do nobre mais traiçoeiro de Westeros, nada é o que parece.

got6-4-1

  • Porto Real/ Lannister

Por mais uma semana Jonathan Pryce foi o MVP do episodio, e sua interpretação do Pardal roubou a cena mais uma vez. Ao confrontar Margaery com sua calma e senso de humildade habitual, acabou revelando a jovem rainha que suas pretensões não simplesmente a moralização, mas jogar por terra uma ordem de mundo muito ligada aos bens materiais e a opulência. Ao dizer que encontrou o caminho da paz interior ao renegar os prazeres mundanos indicou que está dentro do jogo dos tronos para acabar com a ordem estabelecida e iniciar um novo reino dos humildes para seus iguais. Segundo ele, a total humildade é a única verdade, o eterno, enquanto o resto é temporal, efêmero e supérfluo. Mal sabe ele que a jovem rainha é extremamente perspicaz e percebeu seus reais desígnios. Ela agora sabe que garantirá a vitoria da igreja se dançar conforme a musica do Pardal e sua fé militante. O desenvolvimento da série nesse quanto a essas questões religiosas é realmente a mais inteligente, realista e intrigante de todas. Trata com sobriedade um assunto sensível e é extremamente verossímil em sua abordagem. Certamente é o núcleo que tem chamado mais minha atenção nesse inicio de temporada, e o que eu estou mais ansioso para ver se desenrolar.

Por falar nisso, os Lannister decidiram entrar em guerra aberta contra a Igreja, e ainda conseguiu seduzir os Tyrell para seu lado. Após reportar a Olenna que Margaery sofreria da mesma penitencia que ela, conseguiu Cersei trazer a Rainha dos Espinhos e seus exércitos para o seu lado, mostrando que ainda é uma articuladora política eximia, seguindo os passos de Don Corleone, mantendo os amigos perto e os inimigos mais perto ainda. O confronto com os militantes agora é certo, haverá derramamento de sangue na capital do reino.

  • Essos/ Tyrion

Eis ai um personagem que trocou os pés pelas mãos. Ao oferecer um acordo aos mestres de escravos que financiavam os Filhos da Harpia em troca de paz em Meeren, provocou a ira dos escravos e dos seus aliados Missandei e Verme Cinzento. Esses apontaram que a estratégia do Anão era equivocada, uma vez que ele não conhecia os costumes e tradições, assim como as relações que regem essas sociedades escravagistas, e um acordo como aquele que dava tanto poder na mão dos mestres e propunha uma volta provisória a escravidão seria um verdadeiro retrocesso. Pessoalmente acho que os argumentos de Verme Cinzento fazem bastante sentido, a cultura de Tyrion é foi diferente e ele nunca vivenciou as relações de poder que regem essas cidades-estado, certamente lhe faltou conhecimento de causa na hora de decidir, o que tornam os atos de Daenerys ainda mais acertados e nobres, apesar das dificuldades em reger uma sociedade tão complexa. No entanto, o pequeno Lannister acredita que a soberba dos mestres os levará a queda, e manteve sua estratégia. Vamos ver o que vai sobrar desse caldo.

  • Daenerys

Por falar na Mãe dos Dragões, se lembram que semana passada falei que o caminho que estavam desenvolvendo pra ela não era maneiro, que parecia um equivoco. Pois bem, o episódio parecia caminhar para o mesmo tipo de crítica. Não bastava Daenerys ter nas ultimas duas temporadas cometido alguns erros primários, se tornado uma personagem de terceira importância nas relações de poder da série e parecer mais distante de Westeros que nunca, parecia que a curva descendente da personagem não tinha fim. O seu resgate realizado pelos patetas Daario e Jorah estava se desenhando como algo vergonhoso. Tornar uma das personagens legais do início da série em Princesa do Mário a ser resgatada não era golpe baixo suficiente, os seus “heróis” tinham ainda que brigar para saber quem deveria ficar com ela como se fosse um pedaço de carne antes da execução do resgate. Porém, mal esperava pela reviravolta que ocorreu. Daenerys não aceitou ser resgatada, tinha uma ultima cartada na manga, que ia usar quando do seu julgamento pelos Khals. Depois de muito blábláblá, muitas ameaças de violência sexual e toda uma demonstração da barbárie que gira em torno dos senhores dos cavalos, a Rainha mostrou todo o seu poder e inteligência, ateando fogo a tenda onde estava, saiu soberana e incólume das chamas e Senhora de todos os Dothraki, TODOS. Sim senhores, Daenerys voltou com todo o seu poder, o poder do sangue e do fogo, tal qual nas outras temporadas, mostrou o porque é uma personagem de carisma sem igual. Emilia Clarke pode não ser o melhor exemplo de atriz talentosa, mas quando a Daenerys tem que demonstrar força ela simplesmente mostra o seu melhor e arrebata o público. A cena foi maravilhosa em todos os sentidos. O mundo está aos pés de Daenerys de novo, a rainha das chamas e dos corações dos espectadores está de volta ao jogo, mais forte que nunca. E ainda queimou a lingua do humilde crítico que vos fala.

got6-4-3

Essa cena final mostrou porque gostamos tanto dessa série. Foi a combinação perfeita do inesperado e da força desses personagens que aprendemos a amar. Foi o episodio mais espetacular da temporada e colocou o hype a mil para o que vem a seguir. Espero que o nível se mantenha e por mais episódios assim, apaixonantes.

Lembrem-se, toda quarta tem analise com spoilers aqui no Quero Bacon, contamos com vocês nesse projeto até o décimo episódio!

Veja a crítica do último episódio aqui!

Sobre o autor

Pedro Lasneaux

Crítico
Conhecido como Pedrao e Lax. Apaixonado por cinema, quadrinhos, filosofia, literatura,desenhos animados e anime, quer ser o novo José Wilker e comentar o Oscar na TV.

1 comentário

  • Não me imaginava a Emilia Clarke numa série como Game Of Thrones mas me surpreendeu, agora #DaenerysTargaryen é de minhas personagens favoritas, sendo sincera eu acho que a sua atuação é extraordinário, em minha opinião é a atriz mais completa da sua geração. .Encontrei aqui: http://br.hbomax.tv/serie/Game-of-Thrones-Temporada-07-/501441 os horários, no caso de querer vê-la, não vou perder! Li os livros e encantaram-me, vejo a série e encanta-me.

Ei! Deixe seu comentário